Skip to content

A redenção da bolinha de papel

27/06/2011
Aproveitando o post do blog de Paulo Henrique Amorim, não resisti e escrevi o texto abaixo.
Outrora protagonista de incontáveis balbúrdias em sala de aula, símbolo de tédio e insatisfação de alunos bagunceiros, a bolinha de papel ressurge agora como grande heroína em busca da verdade. Com sua ajuda, nunca foi tão fácil desmascarar jornalistas marrons e políticos maquiavélicos. Tais políticos, em sua busca quase shakespereana pelo poder mostram facetas surpreendentes, planos quase que ardilosos que só vieram à tona quando nosso “Hamlet amassado” expõe a podridão do reino da Dinamarca.

Mas essa querida protagonista possui um arqui-inimigo, não um Iago, talvez um atrapalhado Oberon, que visava embrulhar suas conquistas. Trata-se do rolo de fita adesiva ou, como preferirem, o durex. Travando uma épica batalha “a nossa disforme” e sem “forma definida” [definições molinianas], batia e rebatia “quase que com a mesma energia com a qual” se projetava em busca da verdade. Mas o rolo de fita, ou se preferirem o durex, essa ambígua e enrolada personagem, batia de lado, foi ligeiro e atacou furtivamente. Ninguém tê-lo-ia notado não fossem alguns magos da tecnologia atual, que o ajudaram  em sua busca por encobrir a verdade.

O mais estranho é que apesar de serem inimigos, de lutarem em lados opostos, tanto a bolinha quanto o durex usaram suas forças para atacar um mesmo alvo, o mais terrível dos vilões já apresentados – a careca do Padim Cerra. A bolinha,que em hipótese, era mais leve e disforme fizera um estrago enorme logrando fama imediata como heroína que salvou a pátria de um terrível monstro. Diferente sorte tivera o rolo de fita. Brilhante, de formas arredondadas perfeitas,  forte,  e apesar do peso era tão rápido quanto a bolinha,caiu no esquecimento, e quando lembravam dele, as pessoas diziam coisas desconexas, sobre uma aparição miraculosa, tentando ressuscitar um monstro conferindo pancadas em seu lóbulo direito.

Contar a história das aventuras da bolinha de papel é fundamental para o exercício de nossa memória política. Tenho inveja dessa que estragara tantas aulas, que fizera tanta bagunça no passado, mas que tivera um final redentor. Heroína pícara, de coração puro e incompreendido, mas que nos ensinara o caminho do bem, da verdade e dos justos. Mirem-se no exemplo da bolinha de papel!

Acho que faltaram alguns vídeos para complementar o tópico.

Versão do SBT

A mentira da Globo (Molina aparece em 4’38”

Agora um vídeo de internauta desmentindo a farsa

Mais um vídeo para comprovar a fraude

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: